planejamento estratégico

Entenda a importância do planejamento estratégico para seu negócio

Especialmente hoje, não é mais eficaz tomar decisões com base na intuição ou palpites. É crucial contar com um bom planejamento estratégico, que considere as variáveis internas e externas para conduzir o empreendimento ao crescimento.

A estratégia surgiu em períodos de guerra. Seu nome vem do grego stratego e significa “A arte do general”. Em seguida, o termo ganhou vida no mundo dos negócios e contribuiu para a estruturação de organizações produtivos, longevos e bem-sucedidos.

Segundo pesquisa do IBGE, seis em cada dez empresas fecham antes de completar cinco anos de atividade. Isso, sem dúvida, está relaciona a falta de um bom plano. Quer entender a importância do planejamento estratégico? Continue a leitura!

Otimiza a análise das ameaças e oportunidades

O mercado tem mudado rapidamente. Hoje, é possível falar na indústria 4.0 e em como isso tem impactado os negócio. No setor gastronômico, por exemplo, já é possível contar com a ajuda de chatbots para fazer reservas, automatizar tarefas e usar inteligência artificial para melhorar as receitas. Por isso, é importante monitorar as variáveis externas.

O planejamento estratégico ajuda nesse monitoramento. Para facilitar a análise, é comum dividir o mercado em dois grandes blocos: o macroambiente e o ambiente-tarefa, também chamado de microambiente. Assim, é possível ter mais precisão.

O macroambiente é mais abrangente e abstrato, composto por fatores como: economia, política, tendências de mercado e aspectos culturais. O ambiente-tarefa já está mais perto da empresa e atua com maior dinamismo, é possível destacar: clientes, concorrentes e fornecedores. Ao conhecê-los, é possível agir com mais rapidez, eficácia e segurança.

Para realizar essa análise é comum usar uma ferramenta chamada de matriz S.W.O.T. Ela foi desenvolvida pelo professor de Stanford Albert Humphrey. Grosso modo, contribui para diagnosticar as forças, fraquezas, oportunidades e ameaças de uma empresa.

Ajuda a explorar todo o potencial do negócio

É certo que a grande maioria dos negócios possuem a chance de produzir muito mais, com a mesma estrutura e com os mesmos recursos, do que produzem hoje. Segundo pesquisa, apenas 39% do expediente de trabalho é produtivo, e para onde vai todo o restante?

Com a devida análise é possível identificar gargalos que afetam a produtividade do negócio, estes chamados de pontos fracos ou, simplesmente, fraquezas. No final, eles devem ser eliminados ou neutralizados e corrigidos pelo gestor responsável.

Também é possível identificar fatores que culminam em melhores resultados, beneficiando a empresa em sua totalidade. A estes convém chamar de forças ou pontos fortes. Ao identificá-los, é necessário maximizá-los e garantir resultados ainda melhores para o futuro.

Ao identificar as forças e fraquezas é preciso iniciar um processo de melhoria contínua, refinando-os para que favoreçam a organização. Nesse sentido, uma importante ferramenta é o ciclo PDCA, que facilita o planejamento, checagem e padronização de atividades.

Aumenta as chances de diferenciação do empreendimento

De acordo com Richard Luecke, escritor e professor de Harvard, estratégia é “Um plano que objetiva dar à empresa uma vantagem competitiva sobre os rivais por meio da diferenciação”. Ou seja, ao criar um bom plano estratégico é possível se destacar no mercado.

A verdade é que o mercado também nunca esteve tão saturado. Não importa o setor em que pense em empreender, é muito provável que já exista centenas de empresas nele. E isso se agrava ainda mais pelo fato de que , hoje, a competitividade é global, e não mais local.

Com um planejamento estratégico é possível munir a empresa de diferenciais competitivos, tornando-a singular. De acordo com Porter, guru da administração, há três principais estratégias competitivas: diferenciação (investimento em unicidade), liderança de baixo custo (posição de baixo custo) e foco (atuação em apenas um segmento).

Desse modo, ao criar e executar uma estratégia é possível aumentar as chances de diferenciação do empreendimento, tornando-o único na cabeça e no coração dos clientes. Não é à toa que algumas mais bem-sucedidas empresas do mundo investem no assunto.

Desenvolve e dissemina a cultura da organização

A cultura de uma organização é um dos mais importantes elementos para o seu sucesso. No livro “O que (realmente) funciona” de William Joyce, ao acompanhar 160 organizações, descobriu-se que as companhias mais bem-sucedidas tinham algo em comum: a cultura.

O planejamento estratégico ajuda a desenvolver e disseminar a cultura organizacional. Aliás, uma das primeiras etapas do plano é descrever a missão, visão e valores da empresa – pilares indissolúveis da identidade e da cultura do negócio. Em seguida, todo o plano, objetivos e metas devem ser desenvolvidos levando esses aspectos em consideração.

Para ficar claro, a cultura representa as crenças e hábitos compartilhados pelos funcionários de uma organização. Em um restaurante, por exemplo, ela pode estar centrada na excelência, na satisfação dos clientes ou, ainda, na busca pela qualidade total.

A declaração de missão representa a razão da existência da empresa. A visão denota para onde todos devem seguir, ou seja, oferece uma perspectiva de futuro. Os valores referem-se aos princípios inegociáveis. Se sua empresa ainda não possui essa declaração, desenvolva-a! Então será possível fortalecer a cultura e alinhar os stakeholders.

Melhora a tomada de decisões complexas e de longo prazo

Segundo pesquisa, adultos comuns fazem cerca de 35.000 escolhas todos os dias — muitas, de forma quase que inconsciente. Todavia, as decisões certas de um líder de negócio influenciam na sobrevivência ou falência do empreendimento, então é preciso ter atenção.

Uma chefe de cozinha, por exemplo, faz escolhas operacionais (de curto prazo) e estratégicas (de longo prazo). Como decisões operacionais, é possível destacar: as refeições que serão servidos, a forma de preparo e a ordem de entrega. Como decisões estratégicas, é possível destacar: o tipo de culinária que será praticada e, ainda, a imagem que será transmitida aos clientes.

O fato é que todas as decisões, especialmente as estratégicas, impactam no sucesso do negócio. Com o planejamento estratégico é possível otimizar essas escolhas, levando sempre em consideração as variáveis internas (forças e fraquezas) e externas (oportunidades e ameaças).

Nesse sentido, uma importante ferramenta é o 5W2H. Na verdade, seu nome é a abreviação de 7 perguntas do inglês — o que será feito? Por que será feito? Onde? Quando? Por quem? Como? E quanto vai custar? Assim, é possível ter uma visão sistêmica.

Veja, agora você está por dentro do assunto! O planejamento estratégico deve ser uma prioridade em qualquer empresa, especialmente para aquelas que atuam em um mercado complexo e competitivo. Dessa maneira, será possível atingir ótimos resultados.

Gostou do conteúdo? Aproveite para assinar nossa newsletter e receber artigos sobre marketing, estratégia e negócios diretamente em seu e-mail. Vamos lá!